Roteiro de 7 dias em Nova York (dia 5): Central Park e passeio de barco à noite

central park o tour nosso de cada dia

“Yellow cab, gypsy cab, dollar cab, holla back
For foreigners it ain’t fair, they act like they forgot how to add”

De manhã, sol. À noite, neve. Assim foi nosso quinto dia em Nova Iorque. Para aproveitar a manhã ensolarada (mas fria do mesmo jeito), nada melhor do que um passeio no Central Park, certo? Foi exatamente o que fizemos: duas horas de pedalada, dando toda a volta ao enorme parque, que é um refúgio de belas paisagens no meio da Floresta de Concreto de Manhattan.

Visual do Central Park é muito bonito

Visual do Central Park é muito bonito

Na chegada ao Central Park, um monte de caras meio esquisitos vão ficar oferecendo passeios de charrete e de bicicleta. Por isso o verso lá em cima da musica do Jay-Z. Ele fala dos taxistas, mas serve para todo mundo. Sempre vai ter alguém querendo ganhar os trocadinhos em cima do turista. Portanto, preste bastante atenção nisso.

Companheiras no passeio

Companheiras no passeio

A cada pedalada, um flash

A cada pedalada, um flash

Entramos pelo Columbus Circle, na altura da 59th Street, que é a mais famosa porta de entrada do parque. Ali perto, alugamos as bicicletas no Bike And Roll (US$ 28 por pessoa, mais US$ 50 de depósito que voltam para o seu cartão de crédito em 48 horas) e partimos para a nossa pedalada. Escolhemos fazer isso ao invés de só caminhar pelo parque – e não nos arrependemos.

Pedalar no Central Park é bom demais

Pedalar no Central Park é bom demais

Toda se querendo...

Toda se querendo…

É verdade que daria até para termos passado mais tempo, explorando alguns pontos específicos, mas nos cansamos bastante das pedaladas. Até porque paramos em diversos locais para tirarmos fotos e porque o trajeto, especialmente na volta, tem subidas de tirar o fôlego. E, como só é possível pedalar em um sentido, não tem nem como fugir.

Criancinha feliz

Criancinha feliz

Andando de bicicleta no lugar proibido

Andando de bicicleta no lugar proibido

Enfim, sobre o Central Park, ele é enorme e tem muita coisa para ver. Vale dar uma olhada num mapa para tentar se organizar e, caso queira visitar muitos pontos, ir lá mais de um dia. São 3,4 km², que vão da 59th Street à 110th Street (sul a norte) e da 5th Avenue a 8th Avenue (leste a oeste). Não fomos em lugar nenhum muito famoso e, mesmo assim, valeu demais a visita.

Timer sempre nos salvando

Timer sempre nos salvando

Lago é a parte mais bonita

Lago é a parte mais bonita

A dica para o Central Park é: vá cedo. Ele é enorme e você vai se cansar por lá. Tente levar água e biscoitos na mochila para caso de se cansar no meio do caminho. E faça tudo com calma. Duas horas dá para pedalar o parque todo, mas só pedalar e parar para fotos em alguns pontos. Para ter mais tempo, recomendamos alugar a bicicleta por mais uma horinha.

Sim, ela deitou na grama

Sim, ela deitou na grama

Só pra dar a noção: o parque visto do Empire State

Só pra dar a noção: o parque visto do Empire State

Carmine’s: acredite, é muita comida!

Dali, passamos rapidinho no shopping Time Warner Cable, em frente ao Columbus, e decidimos ir para a Times Square, para ver se encontrávamos um lugar para comer. Lembrei então da dica do amigo Luiz Fernando, que falou de um tal de Carmine’s. Fomos conferir. É pertinho da Times Square, na na 44th Street, perto do Teatro Majestic, do Fantasma da Ópera. PS: tava frio DEMAIS!

Times Square, pra variar

Times Square, pra variar

Na recepção, disseram que iríamos ter que esperar meia hora, mas nem precisamos. Armaram uma mesa para a gente rapidinho. Antes, já havíamos olhado por fora e gostamos da decoração e do “nível” do restaurante – apesar de os preços, cerca de US$ 35, por prato, não parecerem tão em conta. Mas eu já tinha sido avisado da dica: os pratos são enormes.

Carmine's tem ambiente ótimo

Carmine’s tem ambiente ótimo

E não é nem para “enganar” o cliente, porque a garçonete pergunta se é a primeira vez e explica que os pratos são para dois. Nós decidimos pedir um Spaghetti com Frango à Parmeggiana. Sabíamos que seria grande, mas não tínhamos noção do quanto. Uma travessa gigantesca – a maior que já comemos na vida – e deliciosa. Comemos muito. E ainda sobrou metade.

E comida bastante farta

E comida bastante farta

Caso isso acontecer com você, não se envergonhe em pedir para levar – isso se a garçonete não oferecer antes. É super normal e todo mundo faz. Nós fizemos, e demos a comida para um casal de rua depois. De lá, passamos no Magnolia Bakery para comprar docinhos e fomos para o hotel descansar para a noite.

Deu fome só de olhar

Deu fome só de olhar

Passeio de barco à noite: vale bastante ver NY toda acesa

O NY City Pass nos dava direito a um passeio de barco da Circle Line. Optamos pelo passeio à noite e valeu bastante, tirando um frio absurdo que fez quando estávamos na parte de externa da embarcação – que é pequena, mais para quem pretende tirar muita foto sem ser atrapalhado pelos vidros da parte interna, que é quentinha e dá um alívio enorme para quem pega o frio congelante.

Line a vista do barco de Manhattan

Line a vista do barco de Manhattan

O passeio sai do Pier da Circle Line, na 42nd Street com 12th Avenue, e se chama Harbor Lights Cruise. Ele sai, pontualmente, às 18h (ou 19h, dependendo da época do ano) e dura 1h30. Há uma narração falando dos pontos principais por onde ele passa – como Wall Street, Brooklyn Bridge, Empire State, Tribeca, Chelsea, Ellis Island e, claro, a Estátua da Liberdade.

Panorâmica da Brooklyn Bridge

Panorâmica da Brooklyn Bridge

Empire State à noite, visto do barco

Empire State à noite, visto do barco

Cidade-Luz é uma só, Paris, mas Nova Iorque também impressiona à noite. Especialmente os prédios mais famosos, como o Empire State e o One Trade Center, além da própria Estátua da Liberdade.  O passeio é meio longo, mas dá para tirar muitas fotografias bonitas e ter uma visão bem bonita da cidade para fechar um dia nela.

Estátua à noite: muito bonita!

Estátua à noite: muito bonita!

Mais uma da Estátua da Liberdade à noite

Mais uma da Estátua da Liberdade à noite

Para coroar nossa experiência, quando voltamos, começamos a ver uns pingos brancos caindo do céu. Falei para a Aline: “acho que tá nevando”. Ela riu. Se ferrou. Eu tava certo. Sim, estava nevando. Pela primeira vez, vimos neve na vida. Ficamos tirando zilhões de fotos – e olha que nem nevou tanto assim – e aproveitando o momento. Fechamos o dia com chave de ouro!

Frio demais!

Frio demais!

Mas não se engane achando que a neve é uma maravilha. É um frio do cacete. Só verem que, no momento em que ela caiu e nós tiramos as fotos, esta fazendo 0 grau. Além disso, ela, quando cai assim, parece chuva – mas, na verdade, são tipo uns pequenos cubos de gelo. Como estávamos de preto, foi engraçado, porque ficamos cheios de bolinhas brancas. Valeu a experiência!

“8 million stories out there in the naked
City, it’s a pity half of y’all won’t make it”

About these ads
About O Tour Nosso de Cada Dia (157 Articles)
Como bons jornalistas, gostamos de escrever. Aqui, vamos fazer uma espécie de bastidores das nossas viagens, expectativas, ansiedades, preparativos e muito mais. Esperamos dividir com você um pouquinho da nossa paixão (literalmente) por viagens.

10 Comments on Roteiro de 7 dias em Nova York (dia 5): Central Park e passeio de barco à noite

  1. Aline! eu de novo

    Queria saber quanto tempo vocês recomendam para conhecer o MET, MOMA e História Natural.. somos que nem vocês, acho que o moma vai ser “desinteressante”

    E… vocês deixaram para comprar ingresso da NBA na hora?? Sai mais caro ou mais barato???
    Porque quero comprar, mas no site eles colocam 60 dólares só encargos, Jésus!!!

    Será que se comprar na hora, não tem isso??? Obrigadaaaa

    • Oi, Fernanda! Nós nem demoramos muito nos museus. Levamos uma horinha e meia em cada um. O ingresso do jogo compramos pelo site da tickemaster e realmente os encargos são altos. Geralmente comprando na hora corre o risco de ter lugares mais caros que não foram vendidos ou até mesmo não ter mais ingresso. Dependendo do jogo o ingresso pode ser mais caro, se for um jogo entre times bons. Se for um jogo sem muito apelo, o ingresso custa mais barato.

      • Oi Pessoal!
        Com quanto tempo de antecedência vocês compraram o ingresso do jogo? Vou em novembro e não sei a partir de quando começar a acompanhar a ticketmaster.

        Obrigada
        Beijos

      • Olá, Jana! Compramos com um mês e meio de antecedência. Tudo depende do jogo, se for de muito apelo, é bom comprar até com mais antecedência. Se precisar tirar mais dúvidas, conte conosco! Abs

  2. Oii.. mais uma… as fotos do central park ficaram lindas,… que máquina é??? obrigadaaa

  3. OIe!!!! amei achar este blog! vou viajar em janeiro e estou adorando o jeito que separaram o roteiro!!

    Estou com a mesma ideia de alugar bikes, mas tenho uma dúvida: existe uma rota para bikes e vi que vc postou uma foto no lugar errado.. eles não olham feio, chamam a atenção????

    Dúvida 2: para ir ao um ponto turístico, tem que sair da rota.. mas quero tirar fotos e tal… ai não tem problema deixar as bikes no descanso? ou arramadas em algum lugar para circular melhor o “ponto turístico”???

    Retorno aqui neste post, para ver se respondeu… muito obrigadaaa

    • Oi, Fernanda! Que legal que você gostou das nossas dicas. Pode voltar aqui com dúvidas quantas vezes quiser :)
      Para uma foto na “contramão” ninguém olha torto não. A gente tentou parar nos pontos mas de bike achamos difícil pelo fato de que pedalar com mapa é complicado. Mas se você quiser pode ir com a bike, desde que não pedale dentro do parque. Também não há lugar para deixar a bike e ir tirar fotos nos pontos, sendo assim você deve levar a bike com você. O que fizemos foi pedalar por duas horas e foi o tempo suficiente para conhecer todo o parque e ir tirando mais fotos pelo caminho que pedalamos. Dependendo, você pode alugar a bike por mais tempo. Saiba que ele é gigante e demora bastante para dar a volta nele todo, mas vale muito a pena pois ele é lindo demais! Esperamos ter ajudado :)

      • Obrigadaaa… ajudou muito!!!

        mas agora fiquei na dúvida sobre alugar as bikes… vamos em 3.. e quero conhecer o pontos turísticos do parque… Olhar o mapa e pedalar: é difícil e ficar andando com a bike pra cima e pra baixo vai ser chatinho… Imagino que deve ser legal, eu queria.. mas levando em consideração os pontos turísticos… acho que vai dar mais canseira.. rs

      • Acredito que andar pelos pontos cansa porque deve ser um longe do outro. Nenhum deles atraía a gente, então preferimos aproveitar e pedalar vendo o quão bonito é o parque. Depois de pedalar eu pensei em andar por lá, mas a fome bateu e preferimos sair pra comer. Dá uma olhada nos pontos turísticos que lhe interessa e veja se compensa parar de bike ou visitar a pé depois de um passeio de bike. Te garanto que a experiência de andar de bike é ótima e foge daquela rotina de ficar correndo atrás de pontos turísticos pra tirar foto.

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. Roteiro de 7 dias em Nova Iorque: o que fazer na cidade mais famosa dos EUA | O tour nosso de cada dia, nos dai hoje...

Ficou com alguma dúvida ou quer elogiar? Deixe-nos um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.086 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: