Beach Park: o maior parque aquático do Brasil

beach park dicas

Parque aquático é comigo e com a Aline mesmo. Desde o Eco Park de Arraial D’Ajuda, em 2009, quando ela perdeu o preconceito, já fomos algumas vezes ao Rio Water Planet, única opção do tipo no Rio de Janeiro, e obviamente que um dos dias mais aguardados da viagem para Fortaleza era a ida ao Beach Park, o maior parque aquático do Brasil. E a expectativa foi super correspondida. Nosso dia, literalmente, foi “Insano”.

Beach Park é insano!

Beach Park é insano!

A primeira dica é: o Beach Park é longe. Ele fica no município de Aquiraz. O táxi provavelmente dá caro e, se você não tiver alugado carro, é melhor contratar algum tipo de serviço de uma empresa de turismo. Há transportes privativos e excursões saindo dos hotéis em Fortaleza. Como estávamos em seis, com dois casais de amigos, optamos pelo transporte privativo com a Nati, da 4por4Adventure, com quem havíamos fechado os outros transfers. Essa escolha foi excelente. De manhã cedinho, passamos no Mercado Central para Renato, Rafaela, Thiago e Carol conhecerem e fazerem algumas comprinhas, e de lá seguimos para o Beach Park. O caminho é longo, como falei, mais ou menos uns 45 minutos, mas ao chegar lá você esquece disso e pensa só na diversão. Compramos os ingressos sem fila, por R$ 140 cada, além de um armário para cada casal (R$ 30), e então entramos no parque. Enquanto isso, nosso motorista foi ao hotel buscar nossas malas porque iria nos levar para Canoa Quebrada no final do dia.

Beach Park é um grande complexo

Beach Park é um grande complexo

A segunda dica é: o Beach Park é muito grande. Na verdade, ele não é só um parque aquático, mas sim um grande complexo, que tem praia, hotéis e restaurantes. Há pessoas que chegam a passar três dias ou até uma semana lá para aproveitarem tudo isso. Mas como a gente tinha apenas um dia, nos dedicamos exclusivamente ao parque. E não nos arrependemos. A diversão é garantida, com uma boa variedade de brinquedos, tanto para os mais aventureiros como para quem tem um pouco de medo. Brinquedos super divertidos Depois de guardarmos nossas coisas, fomos caminhar pelo parque. De longe, o que você vê primeiro é o absurdo toboágua Insano, uma queda-livre de 41 metros de altura, onde você desce a 105kmh. Mas ainda não estávamos coragem para descer nele e então o grupo se dirigiu primeiro ao Kalafrio, segunda atração mais radical do parque, porém que não parece ser tão incrível até que você senta na boia e desce no que parece um half-pipe de skate.

Kalafrio deixou a Aline "arrepiada"

Kalafrio deixou a Aline “arrepiada”

A Aline já desceu chorando. Mal ela perguntou “Moço, isso aqui está seguroooooaaaaaaaaaaah?” e quando olhei ela estava em lágrimas. Do lado de fora, os outros dois casais, que já tinham descido, não sabiam se riam ou se preocupavam. Eu, de frente para ela, também não. A adrenalina é enorme!  A queda é bem radical mesmo, especialmente a primeira, quando você alcança o ponto mais alto da descida. Depois de a Aline se recompor e não parar de rir com a situação, fomos para os toboáguas em frente, de criança, e começamos a passear pelo parque. Então, fomos para o Zump Tchibum, onde você desce com boias ou “tapetes”, em toboáguas abertos bem rápidos. A seguir, veio a Moreia Negra, um toboágua em formato de cobra, fechado, todo preto, e que, para mim, foi um sofrimento. Não por ser radical, e simplesmente por ser lento e totalmente fechado, me deixando com um pouco de calor e dificuldade para respirar. Também fomos para o Atlantis, onde descem duas ou quatro pessoas numa bóia. Depois de tudo isso paramos para almoçar.

Toboáguas do Beach Park são ótimos!

Toboáguas do Beach Park são ótimos!

Comemos hambúrgueres bem gostosos, descansamos um pouco na piscina de ondas e partimos para a segunda parte do passeio. Jogamos biribol (vôlei na água), descemos em um escorrega onde vão até seis pessoas em uma espécie de corrida, ficamos na frente do castelo infantil onde um balde se enche na parte superior e despeja água para baixo e fechamos o passeio nos toboáguas coloridos láá do outro lado do parque. Só quem se aventurou nesses toboáguas fechados e altos foram a Aline, o Thiago e o Renato. Segundo eles, o todo preto é o mais legal. Todos saíram tontinhos rs “E aí, vamos ou não vamos ao Insano?” Eram mais ou menos 16h20 e o parque fechava 17h. Então, surgiu a dúvida: “E aí, vamos ou não vamos”? Onde? Ao Insano, é claro. Grande atração do parque, mas que deixa um pouco de medo para quem chega e o vê lá, gigante, imponente, bem no meio do Beach Park. Eu, apesar de ser muito cagão, fui o primeiro a falar: “Cara, eu já estou aqui, não vou deixar de ir“. Não estavam acreditando em mim, mas liderei o caminho e subi as escadas. Aline e Thiago Labre me seguiram, mas sempre uns dois lances de escada abaixo. No meio do caminho, virei para trás e os dois estavam quase desistindo. Mas chegamos os três lá em cima. A subida é bem cansativa, mas a recompensa é ótima. A vista de 41 metros de altura é impressionante, vendo todo o belo complexo do Beach Park. Então, apreciei a visão um pouquinho, tomei coragem e fui. Não dá nem tempo de sentir medo. A sensação é incrível, indescritível. Seu corpo chega a sair um pouco do toboágua no caminho e você cai em uma refrescante piscina de 1,70 metros de profundidade.

Insano: nós fomos!

Insano: nós fomos!

A Aline demorou um pouquinho, mas veio depois de mim e disse ter sentido a mesma coisa. O amigo Thiago Labre ainda demorou mais, deixou duas pessoas passarem na frente, e só então desceu. Depois, tiramos algumas fotos, nos arrumamos, compramos as fotografias que eles tiram em alguns brinquedos (três fotos impressas em uma moldurazinha do Beach Park custam R$ 50) e dali encontramos nosso motorista para irmos para Canoa Quebrada. Mas a estadia por lá já é história para outro post 😉

Beijo pós-Insano! Sobrevivemos!

Beijo pós-Insano! Sobrevivemos!

Anúncios
Sobre O Tour Nosso de Cada Dia (213 artigos)
Como bons jornalistas, gostamos de escrever. Aqui, vamos fazer uma espécie de bastidores das nossas viagens, expectativas, ansiedades, preparativos e muito mais. Esperamos dividir com você um pouquinho da nossa paixão (literalmente) por viagens.

13 comentários em Beach Park: o maior parque aquático do Brasil

  1. Stephany Vitelli // 22/09/2015 às 18:58 // Responder

    Olá!! Estou chegando um pouco atrasada nesse post, rs. Mas gostaria de saber se 1 dia apenas é o suficiente para curtir o parque… o que você acha?

  2. Super Curti o Blog !
    Já fui em Fortaleza e no Beach Park também, super recomendo !
    Pretendo voltar em 2015!
    Bjuuuus

  3. Olá!
    Agr recomendo juntar dinheiro e só ir a parques nos EUA! Na minha cidade Fort. um parque chamado Golden Park, do mesmo grupo do Mirabilandia de Recife, teve um acidente gravíssimo, num brinquedo cujo nome era Chaos! Eu tinha acabado de sair de uma sessão dele e já estava entrando na sessão do acidente, mas graças a Deus meu primo quis esperar um pouco para ir pois estava tonto! Na hora q o brinquedo ia virar de ponta cabeça a estrutura dele tombou, fazendo com q as cadeiras começassem a sair voando e as travas abrindo! Várias pessoas ficaram presas na estrutura do brinquedo, sem ter como sair, um homem chamado Thiago Fernandes faleceu assim q a trava dele não se soltou, mais praticamente deixou ele totalmente sem forma, a mulher ao lado dele estavam com ferimentos graves, e três crianças correm risco de morte! Luto em saber q poderia ter sido comigo! As manutenções no Brasil não estão nada bem, no Hopi Hari ocorreu o acidente do elevador ok. 1 mês depois a trava da Montezum abriu no meio do caminho. E 4 meses depois um homem cai no canal da atração Rio Bravo, na minha opinião o único parque bom do Brasil, é o Beto Carrero World. Agora, só nos EUA, pois depois disso, perdi a vontade de fazer qualquer coisa animada, pois eu estava ao lado do brinquedo na hora do acidente, e vi o sofrimento de todos q estavam por perto! Não desejo essa experiência a ninguém!

    • Olá, Leonardo. Vimos esse acidente pela TV. Muito triste mesmo. Eu, Aline, nunca fui a parque de diversão no Brasil. Primeira vez que andei de montanha russa foi em Orlando, em 2013. Quanto aos parques aquáticos no Brasil, acho que são seguros. Já fui ao Beach Park e varias vezes ao parque aquático aqui do RJ também…

  4. Rochester Batalha // 27/02/2014 às 22:59 // Responder

    Estou indo p/ o Beach Park no carnaval.
    Tenho vontade de ir no insano, mas sinceramente acho que não vou ter coragem,
    ainda mais que vc falou que a gente descola do toboágua.
    abraço.

  5. Leonardo Bomfim // 22/01/2014 às 14:10 // Responder

    Vou para Fortaleza em Maio e não consigo parar de pensar em mais nada a não ser o Beach Park kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk …… Vou me borrar todinho… mas eu quero ir no Insano simmmm!!!

  6. Achei adrenalina pura esse parque! Só não sei se terei coragem para tudo isso 🙂

Ficou com alguma dúvida ou quer elogiar? Deixe-nos um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: