Compras no Paraguai e city tour em Foz do Iguaçu

Cidade oferece muitas opções de compra

Amiguinhos, esse é o último post sobre nossa viagem para Foz do Iguaçu e nele vou resumir dois dias. Em um deles, fomos ao Paraguai e à Usina de Itaipu. No outro, visitamos alguns pontos turísticos da cidade, como o Templo Budista, a Mesquita Árabe e o Marco das Três Fronteiras. Em ambos, chegamos durante a tarde ao hotel, então acredito que seja possível combinar tudo em um único post sem que fique longo e chato para vocês.

Vamos começar desmistificando o passeio das compras no Paraguai. Primeiro mito: o lugar é feio e cheio de gente. Verdadeiro. Segundo mito: a fronteira é perigosa. Parece falso. Terceiro mito: é tudo muito barato. Bastante falso. Quarto mito: há fiscalização na fronteira e a muamba pode ficar presa. Mais falso ainda. Em detalhes, a nossa rápida experiência no Paraguai, vocês vão poder começar a ler a partir do próximo parágrafo.

Paraguai: eletrônicos baratos. E só.

Fomos de táxi, mas passamos pela fronteira bem cedinho e vimos muita gente caminhando. Não havia qualquer sinal de perigo. Demos uma andada e fomos à famosa Sax, onde tem muitas roupas de grife. Realmente, tem muitas. Mas nada barato. Se você já foi aos Estados Unidos, amigo, não verá nada, nada demais nos preços do Paraguai. Tem camisa da Tommy por US$ 40, que é bem mais barato do que no Brasil, verdade, mas que comprei por US$ 15 em Miami. PS: cada pessoa pode gastar até US$ 300 no Paraguai.

Isso é Ciudad del Este próximo à fronteira com Foz

Isso é Ciudad del Este próximo à fronteira com Foz

Passamos ainda em algumas outras lojas, que sinceramente não lembro o nome, e vimos um perfume ou outro barato, alguns doces, como alfajores e coisas do tipo, mas nada demais. Em eletrônicos, no entanto, vale bastante. Compramos uma GoPro por US$ 250, na Monalisa, loja famosa e grande que vende de tudo, por exemplo. Eu ainda comprei uns dois bonecos pra minha coleção de action figures, a Aline uns cremes, mas só pra gente não ficar naquele gostinho de ir e não comprar nada, sabe?

Cidade oferece muitas opções de compra

Cidade oferece muitas opções de compra

O mais engraçado mesmo é caminhar pelas ruas dos camelôs. Tem muita coisa. Tudo falsificado, obviamente. E ficam uns moleques vendendo meias: “Duas por cinco”. Se você recusa, “Três por cinco”. Se você recusa, “Quatro por cinco”. Por aí vai até chegar ao final: “Todas por cinco”. Diga não, ignore e siga feliz. Detalhe: tem nego até vendendo taser (arma de choque) e pistola nos camelôs. É bem bizarro. Especialmente porque não passamos por revista nenhuma na fronteira (para entrar ou sair) e aí você entende o contrabando.

A gigantesca Usina de Itaipu

Voltamos do Paraguai, almoçamos e fomos para a Usina de Itaipu, a maior hidrelétrica do mundo em termos de produção de energia. O lugar é absurdamente grande e há dois tipos de visita: uma guiada completa, de 2h30, e uma em um ônibus, com um guia falando de cima de um ônibus e faz somente duas paradas. Fizemos a última, mais rápida e mais barata. Eu, sinceramente, achei um tanto quanto sem graça, apesar de o pessoal ter gostado.

Itaipu tem passeio de ônibus com visão panorâmica

Itaipu tem passeio de ônibus com visão panorâmica

Panorâmica da enorme Itaipu Binacional

Panorâmica da enorme Itaipu Binacional

Você vê o reservatório artificial, o Rio de onde sai a água, as turbinas que realizam a conversão da energia, e a guia vai contando uma história ou outra, dizendo que lá é literalmente binacional: metade dos funcionários do Brasil e metade do Paraguai, com um edifício como fronteira e etc. No geral, até é interessante saber disso, mas achei o passeio chato. Não há nada demais, as paradas pra foto são bem normais, apesar de ser impressionante a quantidade de água.

Esta é uma das paradas para fotografias na Usina

Esta é uma das paradas para fotografias na Usina

Mesquita Árabe e Templo Budista

Estes são dois passeios curiosos e interessantes de Foz do Iguaçu. Duas religiões bem diferentes separadas por apenas alguns poucos quilômetros. Ambos são bonitos, porém não são tão atrativos. Na Mesquita Árabe, ainda há uma muçulmana que conta histórias sobre sua religião e explica tudo no que acreditam – as mulheres, aliás, têm que entrar com véu. No Templo Budista, um lugar amplo e cheio de estátuas de budas, o visual impressiona. Mas a falta de um guia e de explicações melhores deixam a desejar bastante.

Interior da Mesquita é bastante interessante, apesar de simples

Interior da Mesquita é bastante interessante, apesar de simples

Aline ficou uma gracinha de véu, não é?

Aline ficou uma gracinha de véu, não é?

No geral, se você estiver em Foz do Iguaçu, vale conhecer ambos os locais. Afinal, não há muita coisa para se fazer por lá. Porém, seu passeio vai durar pouco. Na saída, nosso motorista ainda nos levou para passar em frente à Catedral de Foz (e a nova que está sendo construída há algum tempo), fomos à feirinha da Avenida Brasil (que só tem alguns imãs, chaveiros e coisas do tipo) e por último para o ponto mais legal do dia, o Marco das Três Fronteiras.

Templo Budista tem estátuas e arquitetura muito interessantes

Templo Budista tem estátuas e arquitetura muito interessantes

Pessoas de todos os locais compram estátuas no Templo

Pessoas de todos os locais compram estátuas no Templo

Dois rios, três países: Marco das Três Fronteiras

Esta foi nossa última parada em Foz: o famoso Marco das Três Fronteiras. E o local é bastante interessante. Lá você tem uma visão muito legal dos rios, Iguaçu e Paraná, que dividem estes três países – Brasil, Argentina e Paraguai. Em cada lado, existe um marco colorido com as cores da bandeira do respectivo país. De cada um, você pode ver os outros dois. É muito legal.

Panorâmica mostra os três marcos das fronteiras

Panorâmica mostra os três marcos das fronteiras

O marco brasileiro fica no Porto Meira e foi inaugurado em 1903, por Marechal Cândido Rondon e Dionísio Cerqueira. O argentino situa-se à margem do Rio Iguaçu e o paraguaio fica à margem direita do Paraná. Eles  formam, juntos, um triângulo equilátero que demarca o limite territorial e a soberania dos três países. Legal, não é?

Marco brasileiro tem lojinha com bandeiras dos países

Marco brasileiro tem lojinha com bandeiras dos países

Bom, essa foi a nossa última parada de Foz. E esse foi o nosso último post dessa viagem. Nos próximos dias, antes da nossa viagem para Noronha, ainda teremos o sorteio de um ano do blog e posts relacionados a algumas viagens que já fizemos, mas que ainda não tínhamos o blog. Buenos Aires, Ilha Grande, Região dos Lagos, Porto de Galinhas… Vocês podem até escolher se quiserem! 😉

Anúncios
Sobre O Tour Nosso de Cada Dia (215 artigos)
Como bons jornalistas, gostamos de escrever. Aqui, vamos fazer uma espécie de bastidores das nossas viagens, expectativas, ansiedades, preparativos, dicas, roteiros e muito mais. Esperamos dividir com você um pouquinho da nossa paixão (literalmente) por viagens.

12 comentários em Compras no Paraguai e city tour em Foz do Iguaçu

  1. E quanto a moedas..pizza hut,monalisa compras em real??

  2. Oi, adorei seu relato. Queria saber como você foi para Templo Budista, a Mesquita Árabe e o Marco das Três Fronteiras… foi também com o taxista? Obrigada!

  3. David Morato // 19/02/2015 às 10:14 // Responder

    Em Foz faz-se um comercial pesado da Monalisa pelas ruas (loja no Paraguai), no entanto quando vc chega lá pra comprar, é tudo caro. O melhor lugar para se comprar perfumes e cosméticos em geral é no Shopping Del Este. É seguro e barato. Pra se ter uma noção, um vitória’s secret estava 8 dólares; e o Paco Rabanne Invictus de 200 ml, 80 dólares. Preços bem em conta.

  4. olha adorei as dicas, vcs poderiam me passar o contato do taxista de vcs que levou pro paraguai e Argentina?
    vou em junho é ja queria ter uns contatos

  5. Adorei suas dicas estou tbm indo no início de janeiro/15 e quero comprar uma boa máquina fotográfica, pelo visto vc comprou uma lá, poderia me passar o nome da loja, já que vc disse que eletrônico vale a pena, rsrs obg pelas dicas.

    • Obrigada, Rose Anne! A nossa máquina nós compramos nos EUA. Tem uma loja muito boa, mas infelizmente a gente não lembra o nome 😦 Porém, ela fica bem no centrão. Há muitas vitrines e tem dois andares. Única oja que não vale comprar eletrônicos é a Monalisa. Lá é bem mais caro.

  6. Amanda Missel // 22/10/2014 às 12:34 // Responder

    Olá, gostei muito do roteiro de vocês. Vou a Foz em jan/15 e estou com dúvidas se é melhor fazer Itaipu de manhã ou a tarde, pois estou com medo de me empolgar nas compras do Paraguai e não sobrar tempo para o resto. Sabe dizer como fica o Paraguai a tarde? Cheio? Perigoso?

    • Oi, Amanda. Nós não gostamos do Paraguai no geral. Achamos as roupas bem caras e só achamos que eletrônicos valiam a pena. Como estamos acostumados a comprar nos EUA, os preços no Paraguai não foram atrativos pra nós…Lá não é perigoso, mas é um lugar um pouco estranho. Então, todo cuidado é pouco com bolsas, celular etc. Tem pessoas vendendo meias entre outros artigos na rua e eles ficam chamando os turistas para entrarem em certas lojas. Não vá. Compre só em lojas grandes, nada de lojas fundo de quintal. Não demoramos nem 2h por lá, pois só fomos pra conhecer e comprar uma câmera mesmo. Fomos pela manhã e não estava cheio. Se o seu passeio na usina for o completo pode ficar corrido. Nós fomos ao Paraguai pela manhã e fizemos a Usina na parte da tarde, mas não o passeio completo. Porém foi legal e recomendamos.

Ficou com alguma dúvida ou quer elogiar? Deixe-nos um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: