Fernando de Noronha: Praia da Conceição, Meio e Cachorro

praia do cachorro fernando de noronha

Caramba, dez dias sem post aqui. A Aline está muito displicente, vocês não acham? Hora de eu assumir isso aqui para conta para vocês sobre nossos dois últimos dias em Fernando de Noronha. Optamos por juntar tudo porque no quinto dia repetimos algumas coisas que já haviam sido feitas e o sexto foi bem curtinho, porque fomos embora à tarde. Mas os principais pontos desse post são apresentar para vocês as praias “do centro” de Noronha, que são Conceição, Meio e Cachorro.

Cacimba do Padre para começar o quinto dia em Noronha

Cacimba do Padre para começar o quinto dia em Noronha

Antes de falar delas, vou contar o que aconteceu de desesperador no quinto dia – pelo menos, para mim. A Aline queria porque queria voltar ao Sancho e ir à Baía dos Porcos. E eu, claro, fui fazer a vontade dela, mesmo sabendo que iria me estressar com os lagartos – ou mabuyas como eles chamam por lá. Então, acordamos cedo, pegamos um táxi e fomos para a praia da Cacimba do Padre, de onde tem acesso mais fácil e rápido à Baía dos Porcos.

A diferente vista dos Dois Irmãos na Cacimba do Padre

A diferente vista dos Dois Irmãos na Cacimba do Padre

Como já tínhamos ido, sabíamos o caminho e eu estava até tranquilo, porque da outra vez nem tinha tanta mabuya assim. Mas, dessa vez, foi diferente. Um casal que estava lá foi com ovo de Páscoa para as pedras, isso atraiu os lagartos e estava um verdadeiro mar de bichos nojentos e irritantes. Óbvio que saímos de lá mais rápido do que subimos e, infelizmente, não descemos até a Baía dos Porcos, apesar de que esse mesmo casal falou que estava ruim de ficar lá, pois a maré não estava muito baixa.

A melhor foto da viagem

A melhor foto da viagem

Então, como ainda estava cedo, resolvemos aproveitar um pouquinho a própria Cacimba do Padre, que é uma praia bem legal, com uma vista diferente dos Dois Irmãos, mas que tem muitas ondas e pode assustar quem não está acostumado. A Aline tem tanto medo que nem me deixou mergulhar, mas tudo bem. O lugar é bem tranquilo e estava muito vazio. Passamos mais ou menos 1h30 por lá e ligamos para o taxista nos buscar para levar até o Sancho.

Mais uma dos Dois Irmãos, a última

Mais uma dos Dois Irmãos, a última

Chegando lá, me preparei psicologicamente para as mabuyas e a descida na fenda. Já no caminho, vi muitos lagartos, mas acabou que nem descemos porque o mar estava muito mexido e tinha uma plaquinha e um guarda-vidas avisando que não valeria descer para quem não soubesse nadar, caso da Aline. A própria vista estava diferente, não tão bonita. Voltei logo para o início da trilha e fiquei lá sentadinho esperando a Aline fazer umas fotos. PS: Alugamos material de mergulho e não devolveram o dinheiro.

Sancho: só deu para tirar fotos

Sancho: só deu para tirar fotos

Praias da Conceição e do Meio 

Ainda no quinto dia, fomos à Praia da Conceição, que fica bem pertinho da Vila dos Remédios e dá até para ir a pé. Pegamos o táxi direto do Sancho para lá. A praia é bem comum, parece até a da Barra, no Rio, tem algumas ondas (e até surfistas), um vendedor de água, refrigerante e cerveja, um restaurante bem legal (mas que deve ser caro) e uma rede de vôlei. Dá para curtir um pouco de uma praia “normal”, onde você não tem que se preocupar com corais, peixes, tubarões, snorkeling e etc.

Esta é a Praia da Conceição, na Vila dos Remédios

Esta é a Praia da Conceição, na Vila dos Remédios

Vista da Praia da Conceição

Vista da Praia da Conceição

Alugamos cadeiras e barraca, por R$ 20, e ficamos sentadinhos, conversando, esperando o tempo passar. Quando bateu a fome, nós fomos para a Praia do Meio, onde tem um restaurante bem, literalmente, no meio, da passagem da Conceição para lá – o caminho vai pela própria areia e é muito tranquilo, não leva nem cinco minutos. Mas o restaurante estava fechado e só aproveitamos para tirar fotos da vista, que era muito bonita, e depois fomos caminhando até a Vila dos Remédios para almoçar.

Aline tirando onda com o Gorila

Aline tirando onda com o Gorila

Depois, pegamos uma chuva danada, fomos a uma lojinha que tem do lado do Restaurante Flamboyant para comprar presentes e voltamos para o hotel. À noite, jantamos no Restaurante São Miguel, como de costume, e nos preparamos para o que seria nosso último dia em Noronha. Infelizmente para a Aline e, de certa forma, para mim também – apesar das mabuyas.

Aqui, a muito bonita Praia do Meio

Aqui, a muito bonita Praia do Meio

Praia do Cachorro, Museu e Forte

Acordamos cedo no dia seguinte e decidimos ir andando pela Vila dos Remédios até um Museu que abriu recentemente lá em Noronha, que conta, de maneira bem rica a história da Ilha. Fica logo abaixo da Igreja, do lado direito, no caminho para o Forte. Lá, encontramos até o Arthur, guia da gente no Atalaia, que nos ajudou dentro do Museu e depois falou para irmos com ele e o casal que ele estava guiando até o Forte, que fica bem no topo da Ilha e tem um visual muito maneiro.

Museu de Noronha é novinho e muito bem feito

Museu de Noronha é novinho e muito bem feito

O problema é que o Forte fica no meio do mato e tem aquelas estruturas de pedra que as mabuyas adoram. Obviamente, fiquei só na parte da frente e esperei a Aline fazer o tour com o casal. Mas se você não liga para os bichinhos, vale ir lá, a vista da Ilha é muito maneira.

Aline com o visual do Forte. Absurdo!

Aline com o visual do Forte. Absurdo!

Na sequência, fizemos o caminho para a Praia do Cachorro, que é ali do lado e tem um acesso bastante fácil.Lá é bem pequenininho, as ondas são um pouquinho fortes e a Aline ficou com medo de ficar comigo no mar – aliás, vejam o vídeo abaixo até o final. Depois, fomos comer, voltamos à pousada, arrumamos as malas e partimos para o “grande” aeroporto de Noronha.

Praia do Cachorro - Fernando de Noronha

Praia do Cachorro – Fernando de Noronha

 

Quem quiser ver mais fotos da viagem, o Facebook da Aline é aberto. Basta clicar neste link. Mais uma viagem foi pra conta. Nossa sétima em doze meses e nossa décima quinta (se não me engano) em três anos de namoro. E não deu tempo nem de descansar direito, porque logo depois teve Copa das Confederações, mas isso vou contar em outro post!

Anúncios
Sobre O Tour Nosso de Cada Dia (213 artigos)
Como bons jornalistas, gostamos de escrever. Aqui, vamos fazer uma espécie de bastidores das nossas viagens, expectativas, ansiedades, preparativos e muito mais. Esperamos dividir com você um pouquinho da nossa paixão (literalmente) por viagens.

2 comentários em Fernando de Noronha: Praia da Conceição, Meio e Cachorro

  1. Viviane Rosa // 07/07/2013 às 16:10 // Responder

    Sétima viagem em doze meses? Que sonhoooo! E não vi esse museu 😦
    O vídeo tá engraçado!!!!! hehehehe

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Dicas de Fernando de Noronha | O tour nosso de cada dia nos dai hoje...
  2. O que você precisa saber assim que desembarcar em Noronha | O tour nosso de cada dia
  3. Fernando de Noronha: ‘O paraíso é aqui’ | O tour nosso de cada dia

Ficou com alguma dúvida ou quer elogiar? Deixe-nos um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: