Dicas de Orlando: tudo para fazer uma boa viagem “pra Disney”

Brasileiros que querem ir para a Disney, esse post é para vocês. Demoramos um pouquinho, mas fizemos um compilado com uma série de dicas de Orlando. Tudo o que você precisa saber antes de ir para a cidade, ou quase tudo, está aqui. Ficamos 15 dias por lá, aproveitamos bastante o que queríamos e agora queremos passar um pouquinho do que achamos interessante para vocês, além dos posts específicos de cada parque que já fizemos enquanto estávamos lá. Que tal? Tem quase 30 tópicos, cada um com uma foto para ilustrar, mais de 4 mil palavras e muita informação. E, no final, os links do que fiemos em cada dia no nosso roteiro!

Lua de Mel em Orlando: dicas para curtir a Disney a dois!

Tudo sobre Orlando: nesse post!

Tudo sobre Orlando: nesse post!

Para facilitar vocês que não quiserem ler tanta coisa, eis os tópicos. Usem a busca do navegador (Ctrl + F) e digitem os termos para irem direto para eles: visto, passagem, onde ficar, perfil, aeroporto, alugue um carro, se estiver sem carro, ingressos, filas e fast pass, parques, universal citywalk e downtown disney, guarde o local do estacionamento, chegue cedo, faça um roteiro, fotos com personagens, busch gardens e sea world, atrações, decepções, gratas surpresas, internet, alimentação, restaurantes fora do parque, nba, compras, quantos dias, ir para miami, quanto levar e dinheiro ou cartão. No fim, o índice de posts de Orlando.

Dicas de Orlando: confira todos os nossos posts sobre a cidade!

Boa leitura e esperamos que gostem!

Visto e passaporte: Para ir para Orlando, é preciso ter um passaporte com o visto dos Estados Unidos. Para tirar passaporte, todas as informações estão neste link. Nós tiramos o nosso em 2012 e foi bem rápido, não demorou nem 15 dias. Você agendará, pagará a taxa, irá ao local marcado para dar os documentos e depois voltará para pegá-lo. Após o procedimento do passaporte, dê entrada no visto americano (link aqui). Também tiramos bem rápido, em menos de uma semana. Você também agenda, paga uma taxa, vai a um lugar para tirar fotos e depois ao consulado. Lá, passa por uma entrevista, onde podem te pedir vários documentos, ou então, como foi com a gente, fazerem algumas perguntas básicas. Se eles ficarem com seu passaporte, seu visto foi concedido e seu documento será enviado para seu endereço em alguns dias.

Passaporte na mão!

Passaporte na mão!

Passagem: Fique de olho nos sites das companhias aéreas e no Melhores Destinos, por exemplo, que faz compilados de todas as promoções que saem por aí. É possível encontrar vôos que custam pouco mais de R$ 1 mil, ida e volta, para Orlando. A gente veio de Gol, com escala em Santo Domingo, por R$ 1,4 mil. Valeu bastante. O avião é relativamente confortável, apesar de não ter uma opção de entretenimento.

MD tem ótimas dicas

MD tem ótimas dicas

Onde ficar: Se você estiver de carro, a International Drive é a melhor opção. Próxima de lojas, restaurantes e da Universal. A Disney fica mais distante, mas de carro isso é tranquilo. Ficamos no La Quinta Inn, na International Drive, e recomendamos aos leitores do blog. É simples, mas confortável e em conta, além de ter uma localização boa, próximo a uma Walgreens, a um KFC e pertinho do complexo da Universal.

La Quinta é bem legal

La Quinta é bem legal

Perfil do grupo: Vá com pessoas animadas, que têm disposição para acordar cedo, chegar tarde ao hotel e no dia seguinte estar pronto para outra. Papo de dormir 11 da noite e acordar 8 da manhã. Todo dia. E andar nos parques das 9 da manhã até as 9, 10 da noite se for preciso. Famílias com crianças têm que ter paciência – ainda mais porque as filas nos brinquedos infantis são enormes. Além disso, se você não gostar de montanhas-russas, e não tentar perder o medo na hora, vai perder a melhor parte do parque. Nós tivemos companhias ótimas na viagem e isso fez toda a diferença! Caso vá com um grupo grande, marque um ponto de referência se quiser se separar da galera e encontre só no fim do dia.

Nosso grupo foi ótimo!

Nosso grupo foi ótimo!

Aeroporto: O aeroporto de Orlando é bem grande e logo após o desembarque você já passa por lojas com produtos de vários dos personagens principais dos parques – como uma do Harry Potter, por exemplo. A fila da imigração é bem grande, então tenha uma dose de paciência. Vá com tudo preenchido, mostre o passaporte e não saia desembolsando um monte de papel de reserva de hotel, passagem de volta, nada disso. Converse com o fiscal, responda o que ele perguntar, siga as instruções de captação de digital e foto, depois pegue suas bagagens na sala seguinte e pronto: Welcome to Orlando.

Aeroporto tem várias lojas

Aeroporto tem várias lojas

Alugue um carro: Se tiver carteira de motorista, e especialmente com um grupo grande, alugue um carro. Táxi em Orlando é caro. Uma corrida da International Drive, onde ficam muitos hotéis, ao complexo da Disney, não dá menos de US$ 45. Só a ida. Quando nós fomos, alternamos entre carro (quando um amigo que dirigia estava conosco) e táxi (nos dias após a ida dele embora). Não dá nem pra comparar a diferença. É possível alugar antes pela Internet ou em uma das várias agências que estão no aeroporto.

Carro é fundamental

Carro é fundamental

Se estiver sem carro: Há duas recomendações diferentes. A primeira, para o caso de uma viagem em que se vai conhecer todos os parques: fique em um hotel próximo à Disney, pois lá são quatro parques contra dois da Universal, então você gastará um pouco a menos no transporte. A segunda é: se prepare com antecedência e leve o dinheiro do táxi. Se ficar na International Drive na altura de onde ficamos (La Quinta Inn International Drive North), US$ 10 – US$ 15 até o Universal e US$ 45 – US$ 50 até a Disney. Se for andar de táxi, prepare-se para esperar bastante no hotel (pelo menos uns 10 a 15 minutos). Nos parques têm vários esperando para a saída.

Táxis são caros em Orlando

Táxis são caros em Orlando

Ingressos: Compramos tudo online pela Orlando Tickets (não é propaganda, não, tá, gente, só um relato) e gostamos muito. Mas é possível adquirir diretamente nos sites dos parques também. A Orlando Tickets fica no Hotel Days Inn, bem perto de onde a gente ficou hospedado, então optamos por lá. Também é possível comprar em bilheterias dos parques e nos hotéis. O Orlando Tickets dá a facilidade de dividir no cartão, desconto no boleto e o atendimento lá é ótimo. Fomos bem recebidos, ganhamos vários mapinhas com dicas e horários dos parques e gostamos muito. Confiram também os sites da Disney, Universal e SeaWorld.  Porém, indicamos como pesquisa este ótimo post da Rachel, do blog Viagem a Dois, como comprar ingressos da Disney mais barato.

Orlando Tickets tem ótimo tratamento

Orlando Tickets tem ótimo tratamento

Filas e Fast pass: Na Disney, o Fast Pass é gratuito e você pega em cada atração tíquetes para furar fila em alguns brinquedos. Você só pode pegar um a cada hora. Vale a pena se programar e pegar para as coisas mais cheia. Na Universal, tem o Express, que você pode comprar no site deles ou lá na hora. Os preços são um pouco salgados, mas se você tiver pouco tempo, pode valer para quem quer evitar as filas. No nosso caso, pegamos mais filas na Disney, chegando a quase 2 horas na atração da Pequena Sereia, que é ridícula, por sinal. Na Universal, o mais demorado foi o simulador do Harry Potter, 45 minutos. Mas na maioria dos brinquedos as filas podem ser legais, porque as decorações das atrações são temáticas. Na do Harry, por exemplo, você se sente em Hogwarts.

FastPass é um adianto

FastPass é um adianto

Parques: Fizemos um post para cada parque e todos estão no índice, no fim deste post. Resumidamente, é o seguinte: para os aventureiros, os melhores são Islands of Adventure, Universal Studios e Busch Gardens. Os da Disney têm até uma ou outra atração emocionante, mas são mais pelo clima, pelos “sonhos”, pelos personagens e etc. O Sea World é legal pelos shows de animais e por ter duas ótimas montanhas-russas, a Kraken e a Manta (melhor de todas na nossa opinião). O Animal Kingdom é sem graça caso você vá ao Busch Gardens. Os outros da Disney alternam pontos muito bons e outros chatos.

Magic Kingdom tem a magia Disney

Magic Kingdom tem a magia Disney

Universal CityWalk e Downtown Disney: Ambos os complexos têm seus points de lojas e restaurantes que não ficam dentro dos parques. Mas eles são diferentes. O da Universal é exatamente no mesmo lugar dos parques, só que antes das entradas deles. É preciso passar pelo CityWalk para ir ao Universal Studios ou Islands of Adventure. O Downtown Disney é separado dos parques da Disney. Na nossa opinião, o CityWalk é bem melhor. Tem NBA City, Hard Rock Café, Bubba Gump e um monte de atrações legais. No Downtown Disney, achamos tudo muito caro e sem graça.

CityWalk é a entrada do complexo Universal

CityWalk é a entrada do complexo Universal

Guarde o local do estacionamento: Guarde na memória, anote num papel, tire foto com o celular… Mas nunca se esqueça de guardar o local onde parou o carro. Os estacionamentos são enormes e uma pequena confusão pode fazer com que você perca uma boa quantidade de tempo na hora de ir embora do parque.

Estacionamentos são gigantes

Estacionamentos são gigantes

Chegue cedo: Veja o horário de abertura do parque que você quer ir e, se possível, chegue lá essa hora – no máximo, uma horinha depois. No Epcot, chegamos já um pouco tarde, porque ficamos esperando nossos amigos que tiveram problemas para sair do hotel, e só começamos a aproveitar o parque às 11h (abria às 9h). Chegamos em cima do laço para pegar os personagens e curtir todos os brinquedos bem. Eles chegaram quase 2h depois e não tiraram quase fotos e ainda pularam atrações. Nos outros dias, foi tudo bem, chegamos em horários legais e curtimos tudo com o Bruno, a Bianca e o Victor, que, preciso dizer, foram excelentes companhias e tornaram a viagem bem especial. No Animal Kingdom, com os outros amigos que nos encontraram depois, novamente, chegamos atrasados – e perdemos muita coisa, como as trilhas onde têm diversos animais. Por isso, não esqueça: chegue cedo. E, se possível, saia tarde. Cansa, claro, mas você não vai se arrepender.

Chegue cedo para evitar filas

Chegue cedo para evitar filas

Faça um roteiro: Além de chegar cedo, é fundamental ter um mapinha de cada parque e saber onde você quer ir. Há atrações bobas para muita gente e algumas bem radicais para outras pessoas. Veja o que mais se encaixa no seu perfil e tente ir cedo para brinquedos mais concorridos, como o simulador do Harry Potter, a montanha-russa do Hulk e fotos com as princesas no Magic Kingdom. Isso pode poupar um tempo.

Área do HP no Islands é sempre cheia

Área do HP no Islands é sempre cheia

Fotos com personagens: Veja nos mapas dos parques onde eles estão e em que horário. Normalmente, há mais informações nos mapas em inglês. Há muitos personagens espalhados tanto pela Disney quanto pela Universal e, caso você se planeje, certamente irá tirar fotos com todos que quiser.

Buzz é muito legal!

Buzz é muito legal!

Busch Gardens e Sea World:  O primeiro é bem longe, em uma cidade diferente de Orlando, que é Tampa. A viagem demora umas duas horas, no máximo. Para quem está de carro, só seguir o GPS. Para quem não está, ligue para 1-800-221-1339 e peça as informações do ponto mais próximo do Free Shuttle, ou seja, ônibus de graça, para Tampa. Ele sai de vários pontos de Orlando. A gente pegou no CSI Experience. O segundo é um pouco depois da Universal. Fomos de carro, mas de táxi deve dar uns US$ 25 – 30. Gostamos muito dos dois e recomendamos a ida a ambos.  Pelos animais e pelas montanhas-russas.

Busch Gardens tem bichinhos como esse aí

Busch Gardens tem bichinhos como esse aí

Atrações: Se você tem problemas de enjoar, é melhor evitar alguns simuladores como o do Harry Potter e o dos Simpsons. O dos Transformers e o do Homem-Aranha achamos mais tranquilos. As montanhas-russas podem assustar de longe, mas são bem seguras e não causam tanto embrulho no estômago quanto parece, porque são bem rápidas. As melhores (ou piores, para quem tem medo) na nossa opinião foram (não necessariamente nessa ordem): Hulk e Dragon Challenge (Harry Potter), no Islands, Manta e Kraken, no Sea World, Muntu, no Busch Gardens, e também a Rock It e a Retorno da Múmia, no Universal. Outras atrações imperdíveis, além dos simuladores e montanhas-russas já citados: o Jurassic Park, Dudley’s (De água, no Toon Lagoon) e Popeye no Islands, a Space Mountain e a Splash Mountain, além dos desfiles e do final com os fogos no Magic Kingdom, o elevador Hollywood Tower e a montanha-russa do Aerosmith no Hollywood Studios, um trenzinho que fica naquela bola gigante do Epcot, o safari do Animal Kingdom, os shows de golfinhos e baleias do Sea World, assim como a atração dos pinguis, e acho que só. Se você for fã de Harry Potter, claro, explorar o vilarejo de Hogsmeade no Islands of Adventure.

Rock It é uma das melhores montanhas-russas

Rock It é uma das melhores montanhas-russas

Decepções: Piratas do Caribe – A atração é ridiculamente boba, não tem nenhuma ação – e pouquíssimo Jack Sparrow. A Pequena Sereia – Totalmente infantil. Nem água tem na Pequena Sereia. Bizarro. Dr. Doom’s Fear Fall – o “Kabum” do Islands of Adventure. Adrenalina só na subida, super rápida, porque as quedas são fraquíssimas. Além disso, a atração que dizem que ensina como são as animações dos filmes, no Hollywood Studios, não mostra nada de interessante. Evite. O brinquedo do Toy Story no Magic Kingdom também é bastante sem graça. Hollywood Tower – O temido elevador. É muito legal. A ambientação e as próprias quedas. Mas não é nada assustador. Sheikra – Fazem tanta propaganda que você acha que é a maior adrenalina do mundo. Realmente, quando ela para lá em cima dá um frio na barriga, mas sua queda, que é bastante alta, não é tão potente, porque ela tem meio que uma curvinha bem no meio justamente para dar uma freada.

"Kabum" do Islands é ridículo

“Kabum” do Islands é ridículo

Gratas surpesas: Monstros S/A – Um show de humor com os personagens do filme, que interagem com a plateia. Muito divertido. Shrek 4D – Um filminho simples, mas com efeitos bem legais. Vale a ida. Meu Malvado Favorito – Achei que fosse infantil, mas é bom. Um simuladorzinho interessante que te transforma num minion. Montanha-russa do Aerosmith – Looping. No escuro. Com muitas luzes neon e músicas da banda. Bem legal. Rock It – A grande surpresa para mim. Adrenalina enorme, especialmente na primeira metade, com a subida em 90 graus e a descida super rápida, e excelente ideia de você escolher as suas músicas. Muito bom! Aliás, no geral, a sensação das montanhas-russas surpreende por ser muito mais de adrenalina e emoção, que fazem você vibrar e rir, do que o medo ou os enjoos que muita gente imagina. Vale demais ir a todas, como nós fomos – e em algumas mais de uma vez!

Vire um minion: bem divertido!

Vire um minion: bem divertido!

Internet: Alguns parques têm WiFi, outros não. Quando tem, funcionam muito bem. A principal dica, tanto para Internet como para telefone, é o chip pré-pago da T-Mobile. Por US$ 85 (já com o chip incluso), você fala ilimitado nos EUA e para fixos do Brasil, além de ter acesso também se limites à Internet 4G da empresa (se o seu celular for compatível). O sinal é muito bom na maioria dos parques e na cidade também. Mas certifique-se de que seu celular é desbloqueado antes de comprar o chip.

Dá para postar tudo no Instagram!

Dá para postar tudo no Instagram!

Alimentação: Sim, nos parques tudo é caro. Não, você não precisa comer sempre nos restaurantes de lá. Dica 1: é possível entrar com comida caso você queira economizar. Então leve pelo menos uns biscoitinhos. Dica 2: tente tomar um café reforçado. Há uma série de locais, na International Drive principalmente, que oferecem café com várias opções de manhã. Dica 3: faça, no máximo, um lanche nos parques (caso você queira economizar, claro). É difícil comer bem com menos de US$ 15 – US$ 20 por pessoa na Disney. Na Universal, o Meal Deal vale a pena. Você paga um valor determinado e pode comer o quanto quiser durante o dia nos locais que fazem parte da promoção. Compramos e valeu bastante. Comi muito! Pizza, hambúrguer, salada, batata frita, sorvete, cupcake…

Vai uma cerveja amanteigada?

Vai uma cerveja amanteigada?

Restaurantes fora dos parques: São muitos. De fast-food aos mais chiques e, claro, com diversas opções de comida brasileira, como o Camilla’s, a quilo, e a Fogo de Chão, churrascaria onde fomos e comemos muito bem. Se for lá, vá no almoço, que custa US$ 31 (um valor bem mais em conta do que os R$ 100-R$ 150 cobrados no Rio). Não podemos falar demais porque fomos a poucos – e mais fast food, como o KFC. Mas fomos ao Cheesecake Factory, no Mall at Milennia, duas vezes, e cumpriu as expectativas. Ótimo! E mais barato do que os restaurantes da Disney, por exemplo. Também nesse shopping tem uma hamburgueria ótima (e barata): o Johnny Rockets. Vale dar uma conferida!

Fogo de Chão é cara

Fogo de Chão é cara

NBA, Cirque de Soleil e Blue Man Group: Estas são atrações à parte dos parques. Só podemos analisar a primeira, pois as outras duas não fomos – afinal, estaremos em Vegas no fim do ano e iremos a espetáculos por lá. Sobre a NBA, eu sou suspeito de falar porque gosto muito de basquete, mas para qualquer fã de esporte, vale a experiência. Os jogos são de alto nível e o clima da partida é bem legal. Uma aula de serviços ao consumidor, marketing e etc. Compre os ingressos pelo TicketMaster.com e vá ver uma partida do Magic ao vivo na Amway Arena. O ginásio é mais no centro de Orlando, uma meia horinha da International Drive, mas vale a visita.

NBA é um espetáculo

NBA é um espetáculo

Compras: Brasileiro nos Estados Unidos é sinônimo de compras. Em Orlando, a principal opção de outlet é o Premium Outlets, que tem na International Drive e em Vineland. Fomos ao primeiro e achamos coisas boas. Forever 21 barata, Adidas com sale de pague 2 e leve 1 de graça, Tommy Hilfiger com preços baixos… Nada comparado ao Sawgrass, mas dá para achar coisas boas. Há ainda duas Best Buys (a que fica perto do Florida Mall é mais em conta), vários shoppings (o Mall at Milennia é bem bonito e muito legal de passear, apesar de não ter preços tão em conta. É lá que fica a loja da Apple) e muitos supermercados (Walmart, Kmart e etc). No Walmart, você encontra produtos Disney mais em conta do que nos parques. Assim como nas farmácias Walgreens. Mas para comprar roupa bem barato mesmo, vá a Ross. É preciso garimpar, mas tem muita coisa interessante. Nos parques, as coisas são um pouco caras, mas é impossível resistir. Tem muito produto legal e, certamente, você vai gastar uma graninha. Em breve faremos uma postagem mais detalhada sobre as compras em Orlando e explicaremos tudo direitinho. Aguardem!

Roupas são baratas em algumas lojas

Roupas são baratas em algumas lojas

Quantos dias ficar: Bom, deixei isso por último porque é um assunto complicado. Mas a nossa opinião é: já que você vai para a cidade, tente aproveitar tudo de uma vez. Nós gostamos dos parques e tudo mais, porém temos outras prioridades de destinos para ir antes de retornarmos “à Disney”. Então quisemos colocar 15 dias para poder aproveitar tudo o que quiséssemos. E foi a medida certinha. Fizemos os 4 parques da Disney, os 2 da Universal (repetindo eles em um dia com o ingresso Hopper, que dá acesso aos dois parques), o Busch Gardens e o Sea World. Além disso, um dia à noite fomos ao Halloween da Universal e no outro, no fim da tarde, ao do Magic Kingdom. Só aí são 11 dias – sendo que nesses dois últimos ficamos pela International Drive. Em um deles, deu para ir ao jogo da NBA também. Nos outros 4, um foi a nossa chegada, um foi de outlet e os outros dois para dar uma descansada – acreditem, é preciso nesse ritmo, porque os parques cansam. Muito. Temos amigos que vêm para cá todo ano. Nada contra, mas a gente não acha que seja a melhor opção e nem que seja necessário. É legal, muito legal, mas se você fizer tudo com um tempo legal, sem correr, chegando cedo, aproveitando os parques, não precisará retornar tão cedo – se bem que, caso abram mesmo a expansão da parte do Harry Potter no Islands of Adventure no ano que vem, é uma possibilidade a se pensar rs.

Um dia voltaremos, mas não agora...

Um dia voltaremos, mas não agora…

Ir para Miami: Caso você tenha tempo, pelo menos uns 2 ou 3 dias sobrando no roteiro, e quiser esticar até Miami, acho que vale a pena. É uma cidade ótima para curtir os bares, os restaurantes, as praias e até as lojas, porque algumas têm preços melhores que o que as lojas de Orlando oferecem. O trajeto demora umas 4 horas. Fizemos de van, pagando US$ 50, pela Miami Tour Company. Dá para ir de carro tranquilo – a estrada é ótima, por sinal. Se sobrar tempo, vá ao Sawgrass, o maior outlet dos EUA (mais infos sobre a cidade de Miami, com posts da nossa viagem do ano passado e desse ano, cliquem aqui).

Miami é isso aí...

Miami é isso aí…

Quanto levar: A questão de dinheiro é bem pessoal, mas nós sempre trabalhamos com uma estimativa de, pelo menos, uns US$ 150 a 200 por dia. Ate porque não dirigimos, então temos que pegar táxis. Em alguns dias, você gasta menos. Em outros, gasta mais. No geral, acaba sendo essa a média. Além disso, é sempre bom ter um cartão de crédito com limite para eventuais problemas. Sair do Brasil com o hotel pago também é uma boa. Se quiser fazer compras bem, tipo dar uma renovada no armário, adicione pelo menos uns US$ 1000 por pessoa. Pode parecer muito, mas o dinheiro voa, porque você vê tanta coisa barata que sai comprando tudo. No hotel, para duas semanas, você paga, no máximo, uns R$ 2 mil (em um hotel bom). Nos ingressos, para 10 dias, em torno de R$ 1,2 mil. Mais os R$ 1,5 mil da passagem. Dá em torno de R$ 8 mil para o casal os custos de viagem, mais o dinheiro das compras e para usar no dia a dia (R$ 2 mil + R$ 4,5 mil, aproximadamente). Ou seja, com R$ 15 mil você aproveita bem a cidade. Mas é claro que é possível cortar esses custos se você gastar menos em compras, ficar num hotel mais simples, dividir um carro com os amigos… E também aumentá-los, se quiser comprar eletrônicos, se hospedar em um dos resorts da Disney e comer em restaurantes caros. Vai do gosto (e do bolso) de cada um.

Tenha dinheiro sobrando

Tenha dinheiro sobrando

Cartão ou dinheiro: Nós tivemos nosso VTM do Banco Rendimento clonado em Orlando. Aqui nos Estados Unidos, a maioria dos locais não pede senha ou passaporte. No máximo uma assinatura. Por isso, é muito fácil de clonar. Especialmente em lugares como restaurantes (onde achamos que o nosso foi clonado), porque os garçons, na grande maioria das vezes, levam o cartão para passar na máquina. Por isso, prefira o dinheiro. É só levar numa doleira e você estará seguro. Além disso, cuidado com os cartões internacionais de crédito. O IOF é sempre alto, então você nunca está pagando apenas o preço do produto. E o problema do cartão clonado, além do susto levado, no nosso caso, foi a demora do Banco Rendimento. Abrimos a reclamação no dia 23/10, ainda em Orlando, e recebemos o dinheiro de volta só no dia 4/11. Um absurdo.

Cuidado com clonagem de cartões

Cuidado com clonagem de cartões

É isso, pessoal! O post ficou bem longo (até mais do que eu esperava), mas acho que deu para ter uma noção principal dos pontos mais importantes de viajar “pra Disney”. Se vocês ainda tiverem dúvidas, façam perguntas nos comentários ou na nossa página, que está bombando com quase 600 fãs, no Facebook. Fiquem, abaixo, com o índice de todos os posts que fizemos enquanto estávamos lá em Orlando, com relatos mais detalhados do que fizemos em cada parque. Confiram e compartilhem com os amigos!

Enfim, Orlando! Nosso primeiro dia na “cidade mágica”

Halloween Horror Nights – Susto na medida certa na Universal

Epcot: uma volta ao(s) mundo(s) cheia de diversão na Disney!

Islands of Adventure: magia, aventura e diversão em um só lugar

Magic Kingdom: onde os sonhos se tornam realidade

Compras em Orlando e jogo da NBA: um pequeno ‘descanso’ no meio de tantos parques

Sea World: shows incríveis de animais e montanhas-russas alucinantes

Universal Studios: o melhor parque de Orlando (até agora)

Hollywood Studios: o parque dos espetáculos teatrais na Disney

Animal Kingdom: um Safari infantil no meio do complexo da Disney em Orlando

Hopper Universal: vale a pena fazer os dois parques no mesmo dia?

Mickey’s Not So Scary Halloween Party: doces e travessuras no Magic Kingdom

Busch Gardens: melhor escolha para ver os animais e se divertir nas montanhas-russas

Dica de hotel em Orlando: La Quinta Inn na International Drive North

Anúncios
Sobre O Tour Nosso de Cada Dia (215 artigos)
Como bons jornalistas, gostamos de escrever. Aqui, vamos fazer uma espécie de bastidores das nossas viagens, expectativas, ansiedades, preparativos, dicas, roteiros e muito mais. Esperamos dividir com você um pouquinho da nossa paixão (literalmente) por viagens.

20 comentários em Dicas de Orlando: tudo para fazer uma boa viagem “pra Disney”

  1. Gheison Mesquita Freddi // 26/07/2016 às 12:41 // Responder

    Olá, gostaria de receber notícias do blog por email. Abraços.

  2. Márcia Maria Soares // 16/08/2015 às 15:24 // Responder

    Parabéns pelo post,ficou muito bom ….adorei as explicações ..ajudou muito vou viajar 07/10/2015 com meus filhos de 14 e 17 anos ,o maridão mais 2 casais de amigos também com filhos adolescentes ….👏👏👏👏👏👏🙏🙏🙏🙏🙏obrigadooo!!!!

  3. Depois que sai dos parques,eu tenho que pagar novamente a entrada? Por exemplo: entro no parque e ao meio dia eu saio para almoçar, DPS terei q pagar novamente?

    • Oi, Vitória. Se você comprar o ingresso tipo Hopper ( Parques da Disney) você pode sair e entrar quando quiser. Para Universal e Island o ingresso é o park To park. Porém se sua dívida é somente sair pra comer, acho que não vale à pena pois dentro dos parques há muitas opções. Você pode fazer lanches e no final comer no City walk que é na entrada do Universal e Island ou ir pra Downtown Disney saindo dos parques da Disney. Em ambos há ótimas opções para comer e vc pode ir tranquila

  4. Adoreiii a explicação de vocês!
    Obrigada 🙂

  5. Viviane Oliveira // 17/04/2015 às 12:33 // Responder

    Da pra se virar sem falar o inglês?

    • Olá, Viviane. Sem falar o básico é bem difícil pois o inglês é a língua mundial para comunicação em qualquer lugar do mundo. Pelo menos o básico pra entender as coisas escritas, faladas em atrações e pra se comunicar é extremamente necessário.

  6. oiii entao, eu vou sozinha e nao sei nada em ingles, la na disney eles tradutor?
    eu quero ir num dia de frio ainda n sei o dia, mais pretendo ir nesse ao
    vc poderia me indicar um mes que estegi frio
    e preciso tomar alguma vacina ou outra coisa:?
    e as malas ate quantas malas posso levar vou ficar la por 11 dias
    e vou em 7parques

    • Oi, Taty. Não há tradutor em parques. Dia de frio pra quem vai pela primeira vez é bem complicado porque alguns brinquedos fecham e os de água são bem difíceis de ir. Não precisa vacina alguma pra entrar nos EUA. São duas malas de 30kg cada mas consulte antes a companhia que irá viajar pra ver o peso permitido.

  7. Excelente suas dicas, muito bom tudo. Estarei, se Deus quiser, em Orlando do dia 05 ao dia 10 de agosto de 2015, ou seja seis dias,e estarei com duas crianças de 06 e 11 anos, estava pensando em fazer 03 ou 4 dias de parque, quais parques VC aconselha, levando em consideração que somos dois adultos e duas crianças de 06 e 11 anos?

    • Obrigada, Denisson. Com crianças o mais aconselhável é ir aos parques da Disney: Magic Kingdom, Epcot, Hollywood Studios e Animal Kingdom. Todos esses tem programações pra eles. Os parques do universal e Island também tem, mas há simuladores que você precisa verificar se o de 6 anos pode entrar. Fora que há brinquedos mais radicais. O Sea world é legal porque tem show de baleias, golfinhos e espaço com Pinguins.

  8. Olá!! estou planejando a minha viagem para 2016 e queria saber qual é melhor: alugar um carro ou fechar com a agência de viagens um translado/ônibus? Pretendo ir em todos os parques, e queria pelo menos dois dias para compras. Obrigada!

    • Oi, Letícia. O melhor é alugar um carro, pois te deixa mais livre para ir aos parques e voltar a hora que você quiser. Nem todo hotel tem transfer para parques. Os da Disney tem para hotéis da Disney, mas há alguns hotéis que só tem para alguns parques. Empresas de transfer não conhecemos nenhuma. Alugue um carro. É bem melhor 😉

  9. Olá !Gostaria de saber se existe algum ônibus que leve até o aeroporto. Estou perto do outlet da Vineland . Obrigada !!

  10. Adorei o seu post, porém sempre que fui pra orlando andei de ônibus e não gastei quase nada. o transporte de lá é muito bom, está sempre nos horários e funciona até tarde, isso pode ser uma dica para quem escolher diminuir os gastos.

    • Olá, Taís. Obrigada pelo seu relato. Lemos muita gente relatando que os ônibus demoravam e vimos que circulam pouco. Hj em dia, a maioria dos hotéis tem transfer para os parques então andar de ônibus nem vale tanto, na nossa opinião. Mas para quem não ficar em hotel com transfer e não quer alugar carro, acho que tem que se preparar bem pois é bom chegar cedo aos parques.

1 Trackback / Pingback

  1. Onde comprar ingresso barato para a Disney: Orlando Tickets Online | O tour nosso de cada dia

Ficou com alguma dúvida ou quer elogiar? Deixe-nos um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: