Ir para conteúdo

Roteiro de 7 dias em Nova York (dia 2): subida ao Empire State, ChinaTown e Little Italy

“Concrete jungle where dreams are made of…”

No nosso segundo dia pela “Selva de Concreto onde os sonhos se realizam”, vimos a cidade de um de seus pontos mais altos: o Empire State Building. Andamos por suas proximidades, visitando a Grand Central Station e New York Public Library, além de termos ido à China Town e Little Italy à tarde, antes de voltarmos à Manhattan para assistir a um jogo do Knicks no Madison Square Garden. Para satisfação da Alie, fechamos a noite na Times Square.

Panorâmica da Times Square à noite
Panorâmica da Times Square à noite

Grand Central Station e New York Public Library

Saímos do hotel e fomos andando para Grand Central Station, na 42nd Street. É como a Central do Brasil de Nova Iorque: a estação central de metrô e trem da cidade, de onde saem composições para todos os locais imagináveis. A parte principal dela é bem bonita. Vale ir lá e tirar umas fotos. Esse ano, ela está completando 100 anos, então há uma decoração especial.

Fachada da Grand Central
Fachada da Grand Central
A bela parte interna da Grand Central
A bela parte interna da Grand Central

De lá, fomos à New York Public Library, a biblioteca local. Ficamos pouco tempo, tiramos algumas fotos, mas o local é muito legal. É interessante ver as pessoas pesquisando, todas no maior silêncio, e também as que ficam só navegando na Internet. Ela é bem perto da Grand Central e, se você já estiver por lá, vale dar uma passada para pelo menos ver a fachada, muito bonita.

Biblioteca também é muito bonita
Biblioteca também é muito bonita
Instagramando tudo
Instagramando tudo

Empire State

Falemos então Empire State, um prédio com 102 andares na 34th Street com 5th Avenue. Construído em 1931, é um prédio de negócios gigantesco e mundialmente famoso. É possível subir nele e visitar até o andar de número 86, onde há um observatório em 360 que permite uma visão espetacular de cidade de Nova Iorque. É possível ainda colocar moedinhas nos telescópios para ver as coisas de mais de perto – como a Estátua da Liberdade, que fica bem longe.

Empire State
Empire State
Tá alto?
Tá alto?
Cidade é maneira de cima
Cidade é maneira de cima

Há ainda um observatório no último andar, cujo preço é de US$ 44, pago com o ingresso tradicional, que custa US$ 27 se adquirido sozinho. Como compramos o NY City Pass, tínhamos a subida até o 86, essa que custa US$ 27, inclusa, e resolvemos fazer apenas ela. Ainda ganhamos um audioguide bem legal, que conta a história dos pontos marcados no observatório. São um total de 7 regiões, com vistas incríveis para todos os principais pontos da cidade.

Could you take a picture for us, please?
Could you take a picture for us, please?
Só observando...
Só observando…
Uma das vistas do Empire
Uma das vistas do Empire

Madison Square Garden, Central Park, Rockefeller, Brooklyn Bridge, World Trade Center, Estátua da Liberdade… Você pode ver tudo de lá de cima do Empire State. Ficamos um tempinho lá, aproveitando que era de manhã e não estava tão frio, tiramos muitas fotos e, na saída, caminhamos até o Eataly, um mercado italiano que fica a umas três quadras de lá, perto do Flatiron Building (um prédio em formato de ferro de passar roupa). No Eataly, há tanto produtos para cozinhar em casa como restaurantes.

Eataly é bem legal
Eataly é bem legal
Madison Park e Flatiron
Madison Park e Flatiron

Chinatown e Little Italy

Porém, como estava muito cheio, pegamos o metrô e fomos para Chinatown, descendo na Canal Street. Nela, há uma série de lojas e camelôs, além de pessoas te abordando oferecendo bolsas e carteiras de marca. Recusamos as abordagens e caminhamos por ela em busca da Mulbery Street, onde é Little Italy. Os dois “bairros” são bem juntos um do outro e é engraçado participar dessa viagem pela China e pela Itália, uma ao lado da outra, no meio dos Estados Unidos.

Aline curtindo Chinatown
Aline curtindo Chinatown

Nós achamos que Chinatown fosse bem pior – apesar de ter uma pracinha lá onde paramos em que tinha umas pessoas bem estranhas e ficamos meio receosos. É tranquilo caminhar lá, pelo menos de dia. Little Italy, então, mais ainda. Tem um monte de restaurantes e turistas. Comemos no excelente Caffe Napoli e depois fomos comer a sobremesa na Ferrara’s. Você não dá nada pelo lugar, porque é simples, tipo uma confeitaria/padaria, mas os doces são excelentes. Vale conferir.

Pracinha meio tensa
Pracinha meio tensa

No geral, Chinatown e Little Italy são o mesmo lugar, e podem ser conhecidos em uma meia horinha, no máximo, caso você não queira almoçar nem comprar nada por lá. Nós recomendamos o almoço em um restaurante italiano, porque a comida é sempre excelente, o preço não é alto e o atendimento muito bom. Se quiserem comprar em Chinatown, não temos muitas dicas, então a conta e risco são de vocês hahaha.

Comemos bem em Little Italy
Comemos bem em Little Italy

Times Square e Madison Square Garden

Na volta, andamos um pouco pela 5th Avenue, perto do Rockefeller Center. Fomos à NBA Store, que é o paraíso para os fãs da NBA, passamos pela Sacks Fifth Avenue e, claro, paramos na Times Square, para a Aline tirar mais fotos – agora com a noite mais escura e com as luzes ainda mais brilhantes. Mas não ficamos muito lá, porque o principal compromisso do dia era na parada Penn Station da 34th Street do metrô. Saída: Madison Square Garden.

Loja da NBA tem muita coisa
Loja da NBA tem muita coisa
Times Square, pra variar
Times Square, pra variar
Mais uma foto antes de ir pro jogo
Mais uma foto antes de ir pro jogo

E, literalmente, o metrô te deixa dentro do ginásio. Na saída MSG da Penn Station, você chega bem na porta do Madison, já passando pela revista para entrar nas dependências do Mais Famoso Ginásio do Mundo. Por dentro, ele é bonito, tem uma aura chique e passa aquele requinte de Nova Iorque. Mas reflete a cidade também em outras coisas: o povo é frio, a torcida não empolga e só tem turista no jogo – inclusive, muitos brasileiros.

No Ginásio Mais Famoso Do Mundo
No Ginásio Mais Famoso Do Mundo
Line já tá sabendo tudo de NBA
Line já tá sabendo tudo de NBA

Ficamos num setor legal, apesar de lá em cima do ginásio, que é tipo uma ponte, separada das cadeiras normais. Achei interessante a ideia. O jogo em si foi excelente: Pacers, melhor time do Leste da NBA nessa temporada e vice da conferência no ano passado, contra Knicks. Jogaço, com direito a prorrogação e shows de Carmelo Anthony, pro Knicks, e Paul George, pro Pacers, que ganhou no final. A experiência decepcionou pela frieza do público e do ginásio, mas valeu visitar a Arena Mais Famosa do Mundo.

Prorrogação
Prorrogação
Melo e George jogaram demais
Melo e George jogaram demais

E assim terminou nosso segundo dia em Nova Iorque, a cidade onde, realmente, você pode fazer de tudo: ir no topo de um prédio de 102 andares, caminhar pela China, almoçar na Itália, tirar fotos com diversos painéis iluminados gigantes em uma rua recheada de turistas e ainda assistir a uma partidaça de basquete. Tudo no mesmo dia e andando só a pé e de metrô.

“There’s nothing you can’t do
Now you’re in New York”

3 comentários em “Roteiro de 7 dias em Nova York (dia 2): subida ao Empire State, ChinaTown e Little Italy Deixe um comentário

Ficou com alguma dúvida ou quer elogiar? Deixe-nos um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: